Teste rápido para a detecção do Ebola começa a ser utilizado na África

À medida que o surto de Ebola continua latente na África Ocidental, os investigadores demonstraram a utilidade de um teste rápido para o vírus que poderia ajudar a conter outra epidemia. Ao teste ReEBOV, que precisa apenas de uma picada no dedo para coletar o sangue e apresentar os resultados em cerca de 15 minutos, foi concedida uma autorização de uso emergencial pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em fevereiro, com base em avaliações laboratoriais. Agora, os dados recolhidos do uso da ReEBOV na África têm adicionado mais uma prova da sua precisão.

Ao longo do recente surto de Ebola, os médicos têm contado com testes baseados em PCR para diagnosticar casos da doença viral. Os testes necessitam de um frasco cheio de sangue a ser tirado do braço do paciente e transportado para a instalação de um laboratório mais próximo, podendo demorar horas ou até mesmo dias. No laboratório, ao longo de várias horas, uma máquina de PCR amplifica o material genético no sangue até que haja uma quantidade suficiente para detectar a doença. Ao todo, o processo pode demorar alguns dias, durante o qual, um paciente suspeito de carregar o Ebola deve ser colocado em quarentena ou alojado em segurança em unidades onde corre o risco de infecção, caso a suspeita da doença não fosse confirmada. Segundo a OMS, o custo aproximado deste processo gira em torno de US$ 100, ou aproximadamente R$ 312,00.

Imagem do vírus ebola. Fonte: http://super.abril.com.br/blogs/superlistas/7-fatos-que-voce-precisa-saber-sobre-o-ebola/
Imagem do vírus ebola. Fonte: Super Interessante

O teste mais recente, o ReEBOV, atualmente fabricado pela Corgenix, com sede no Colorado, é como os testes em que é feita uma punção digital (a famosa “picadinha” no dedo), muito usado ​​por diabéticos para testar o nível de açúcar no sangue. Dentro de poucos minutos, após uma gota de sangue ser colocada sobre uma tira de papel, aparece uma linha sinalizando um resultado positivo ou negativo. Ao contrário dos ensaios baseados em PCR, que olham para a presença de material genético do vírus, o teste ReEBOV detecta proteínas presentes no sangue durante a infecção por Ebola. Ele está orçado em cerca de US$ 15 por teste (aproximadamente 47 reais) e pode ser facilmente realizado sob condições difíceis em campo.

Durante 2 semanas do mês de fevereiro, os investigadores usaram tanto o teste ReEBOV, quanto um teste baseado em PCR clássico, em 106 pacientes que apareceram em duas clínicas de Serra Leoa com sintomas suspeitos de Ebola. Além disso, os cientistas compararam o desempenho dos testes em 284 amostras de sangue recolhidas anteriormente. O teste ReEBOV detectou todos os casos de Ebola que o teste de PCR (o mais lento) detectou, dando-lhe o que os pesquisadores acreditam ser uma sensibilidade de 100%, como relataram on-line na revista The Lancet. No entanto o teste também teve um pequeno número de falsos positivos, fazendo com que a sua especificidade ficasse em 92%.

“Ficamos surpresos com o desempenho”, diz Nira Pollock, uma médica de doenças infecciosas do Hospital Infantil de Boston e uma das autoras do novo estudo. “Foi mais sensível do que eu esperava para um teste de diagnóstico rápido do antígeno”. Mas Pollock admite que os números podem ser enganosos. Após a coleta dos dados iniciais, os cientistas usaram um segundo teste baseado em PCR  para olhar algumas das amostras. O teste de PCR que tinha sido usado como um “padrão ouro”, não era em si 100% sensível, não só destacando a discrepância entre os testes baseados em PCR diferentes, mas também lançando dúvidas sobre os seus novos resultados.

Fonte: News From Science.

Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e mestre em Biociências e Biotecnologia pela UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.
Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e mestre em Biociências e Biotecnologia pela UENF – Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

%d blogueiros gostam disto: