Novo teste pode revelar todos os vírus que já te infectaram na vida

Apesar de você não conseguir lembrar de todas as infecções virais que já teve, o seu sangue pode. Um novo teste procura os anticorpos presentes na corrente sanguínea de uma pessoa para revelar o seu histórico de viroses da vida inteira. O método poderia ser usado não apenas para diagnosticar doenças atuais ou passadas, mas também para desenvolver vacinas e estudar a relação entre viroses e doenças crônicas.

Atualmente, os pesquisadores podem realizar testes para detectar a presença de um patógeno viral por vez – de herpes e gripe ao vírus da AIDS – através de exames de sangue. Estes testes geralmente buscam por anticorpos ou pelo próprio material genético viral. Outros podem mensurar a presença de anticorpos mais duradouros, que permanecem no sangue décadas após a infecção.

Pesquisas conduzidas pelo biólogo Stephen Elledge, da Brigham and Women’s Hospital (instituição afiliada à Harvard Medical School, em Boston – EUA), buscam desenvolver um teste que poderia olhar para todas as infecções atuais ou passadas de um paciente, de uma única vez. Primeiramente eles montaram uma biblioteca com cerca de 100 mil fragmentos de proteínas sintéticas, onde cada uma delas representa uma seção de um vírus que pode ser reconhecida por um anticorpo. Quando essas proteínas são adicionadas a uma gota de sangue, anticorpos presentes no sangue se ligam aos fragmentos correspondentes. Então os pesquisadores podem isolar os anticorpos e, a partir dos fragmentos nos quais eles se parearam, determinar com quais dos vírus o indivíduo já se infectou e quais anticorpos o seu corpo produziu em resposta.

Antígeno X Anticorpo
Representação de um vírus (verde) e de anticorpos (amarelos).  Fonte: Flickr.

O novo teste foi apelidado de VirScan. De acordo com Elledge, “você pode comparar grupos de pessoas – jovens e idosos ou aqueles com ou sem a doença – e ver se existe uma diferença em seus históricos virais”. Por exemplo, o teste poderia ajudar a determinar se infecções virais podem desencadear diabetes ou a síndrome da fadiga crônica.

O VirScan foi testado em mais de 500 pessoas dos Estados Unidos, da Tailândia, da África do Sul e do Peru, aonde algumas destas estavam infectadas com o HIV.  Em média, a maioria das pessoas tinham anticorpos para 10 infecções virais anteriores. Em todas as populações, os vírus comuns, como o da herpes e o rinovírus (que podem causar o resfriado), estavam no topo da lista.

Entretanto, os testes apresentaram resultados abaixo do esperado para anticorpos para norovírus e rotavírus, que causam um grande número de infecções intestinais. Talvez estes anticorpos não fiquem por tanto tempo na corrente sanguínea, como era de se esperar, ou realmente seja uma limitação técnica do teste.

Elledge admite que, por enquanto, o VirScan pode não detectar alguns vírus, mas ainda assim está detectando muitos. Com o tempo, aprimoramentos na técnica e na biblioteca de fragmentos podem melhorar esta questão.

O VirScan ainda não está disponível para uso comercial, entretanto Elledge espera que ele não custe mais do que os testes existentes atualmente, nos quais se analisa um patógeno por vez. Se assim for, esse teste se tornaria viável como um dos exames de rotina anuais. Você poderia dar uma gota do seu sangue de tempos em tempos para checar se você teve novas infecções, que muitas vezes as pessoas nem sabem que tem, como é o caso da hepatite C.

Fonte: Science Magazine.

Igor Cunha

Biomédico, formado pela Faculdade do Espírito Santo - UNES, Mestre em Biociências e Biotecnologia na UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

Últimos posts por Igor Cunha (exibir todos)

Igor Cunha

Biomédico, formado pela Faculdade do Espírito Santo – UNES, Mestre em Biociências e Biotecnologia na UENF – Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

%d blogueiros gostam disto: