Política de lista de espera de órgãos beneficia os ricos, acusa estudo

As pessoas na fila para transplante de órgãos ganham uma vantagem por ficarem nas listas de espera em vários centros. Mas este privilégio parece favorecer os pacientes mais ricos e podem estar exacerbando as desigualdades existentes em transplante de órgãos, de acordo com dados apresentados em 9 de novembro nas sessões científicas da American Heart Association.

Mais de 122.000 pessoas nos Estados Unidos atualmente precisam de um novo coração, pulmão, rim ou outro órgão, de acordo com a United Network for Organ Sharing – UNOS. A organização sem fins lucrativos, que administra o transplante de órgãos, permite que os pacientes se inscrevam em listas de espera em mais de um centro. A idéia é que a listagem múltipla ajude  os pacientes a superarem as disparidades geográficas na disponibilidade de órgãos.

Os pacientes que podem pagar para estar em várias listas de transplantes tem mais chances de sobreviver. .
Os pacientes que podem pagar para estar em várias listas de transplantes tem mais chances de sobreviver. Fonte: Science News.

Mas, em vez de nivelar o acesso, “esta é uma política que agrava essa disparidade”, disse Raymond Givens, um cardiologista da Columbia University Medical Center. Em sua análise de dados de transplantes nacionais, as pessoas em várias listas eram mais propensas a receber um transplante e tinham taxas de mortalidade mais baixas. Por exemplo, 18,6% dos pacientes em uma única lista para um transplante de rim morreu à espera, em comparação com 10,8% das pessoas em mais de uma lista.

Givens também descobriu que pacientes em várias listas tendem a ter rendimentos mais elevados e seguros privados. Para chegar em mais de uma lista, um paciente deve ser avaliado em cada centro, o que requer os meios para a viagem e hospedagem.

Existe a política multilista porque os pacientes querem, disse o porta-voz UNOS, Joel Newman. A organização reconsiderou a política de várias listas três vezes na história da organização, disse ele. “Estamos sempre abertos a olhar para isso de novo.”

Fonte: Science News.

Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e mestre em Biociências e Biotecnologia pela UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.
Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e mestre em Biociências e Biotecnologia pela UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

%d blogueiros gostam disto: