A vitamina D poderia reparar danos neurais na esclerose múltipla, sugere o estudo

Uma proteína ativada pela vitamina D pode estar envolvida na reparação de danos à mielina em pessoas com esclerose múltipla (EM), de acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Cambridge. O estudo, publicado no Journal of Cell Biology, oferece evidências significativas de que a vitamina D poderia ser um possível tratamento para a esclerose múltipla no futuro.

Os pesquisadores, a partir do MS Society Cambridge Centre for Myelin Repair, identificaram que a proteína receptora de vitamina D se pareia com uma proteína existente, chamada de receptor gama de RXR, já conhecida por estar envolvida na reparação da mielina, a bainha de protecção que envolve as fibras nervosas.

Pela adição de vitamina D para as células-tronco do cérebro onde as proteínas estavam presentes, eles descobriram que a taxa de produção de oligodendrócitos (células que produzem a bainha de mielina dos axônios) aumentou 80%. Quando o receptor de vitamina D foi bloqueado para que não funcionasse, a proteína gama RXR por si só não foi capaz de estimular a produção de oligodendrócitos.

Na esclerose múltipla, o sistema imune ataca o próprio corpo e danifica a mielina, causando a interrupção das mensagens enviadas ao redor do cérebro e da medula espinhal; os sintomas são imprevisíveis e incluem problemas com a mobilidade e o equilíbrio, dor e fadiga severa. O corpo tem uma capacidade natural para reparar a mielina, mas com a idade, este processo torna-se menos eficaz.

O professor Robin Franklin do MS Society Cambridge Centre for Myelin Repair e do Wellcome Trust-Medical Research Council Stem Cell Institute, que liderou o estudo, disse que: “Durante anos, os cientistas têm procurado uma maneira de reparar o dano à mielina. Até agora, a maioria das investigações sobre a vitamina D olhou para o seu papel na causa da doença. Este trabalho fornece evidências significativas de que a vitamina D está também envolvida na regeneração da mielina, uma vez que a doença foi iniciada. No futuro, poderíamos ver uma droga de reparação da mielina, que funcionaria por segmentação do receptor da vitamina D “.

Drª. Susan Kohlhaas, Chefe de Investigação Biomédica, no MS Society, disse: “Mais de 100 mil pessoas no Reino Unido têm esclerose múltipla, e encontrar tratamentos que podem retardar, parar ou reverter o agravamento da deficiência é uma prioridade para o MS Society. Nós agora gostariamos de ver mais estudos para entendermos se tomar suplementos de vitamina D poderia, com o tempo, ser um tratamento eficaz e seguro para as pessoas com esclerose múltipla”.

Ela continuou: “Por enquanto, esta é a fase inicial da investigação que tem sido feito no laboratório e mais trabalhos são necessários antes de sabermos se ele seria válido em pessoas com esclerose múltipla”.

Na sequência desta investigação, os cientistas precisam entender mais sobre a biologia subjacente deste receptor antes de considerar como o receptor da vitamina D poderia ser um alvo de estudos futuros, seguros e eficazes, em pessoas com esclerose múltipla.

Matéria traduzida da University of Cambridge, por Vinicius de Oliveira Mussi.

Revisado por Igor Augusto G. Cunha.

Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e mestre em Biociências e Biotecnologia pela UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.
Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e mestre em Biociências e Biotecnologia pela UENF – Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

  • Suzana

    Para o mal de Parkison tem alguma vitamina?

  • Betinho

    Pq não focalizam os estudos também na psoriases afinal de contas e uma doença q não t cura e antigem milhões de pessoas sem contar q é uma doença horrível

  • Albertina Correia

    O estudo da vontade de rir, não fosse o caso tão sério… Meu primo CUROU-SE fora deste país precisamente com esse medicamento, que tem um custo simbólico, quando comparado com as tais injeções de 250 euros por semana…
    Mas nem a A TV (que não vou dizer o nome) FOI Em frente COM A ENTEBUSTA, ê que os lobies são para se manterem…
    PS: curou-se faz 5 anos

  • Soraia Mendes

    Meu nome é Soraia Mendes sou de BH Minas Gerais e há dois anos faço o tratamento com a vitamina D, fui diagnosticada com esclerose múltipla em 2014 e não tive mais nenhum surto característico da doença. Importante informar que não se deve auto medicar mas sim, consultar com médicos devidamente preparados com relação a eficácia da vitamina D. Faço tratamento com a equipe do Doutor Cícero Coimbra em São Paulo. Vale a pena fazer uma consulta se você tem esclerose múltipla, mal de Parkinson ou outra doença auto imune.

%d blogueiros gostam disto: