Hormônio da fome retarda envelhecimento em camundongos

Elevar os níveis de grelina, um hormônio envolvido na fome, diminuiu os declínios relacionados com o envelhecimento em camundongos, de acordo com um estudo publicado na revista Molecular Psychiatry.

Os autores deram aos camundongos um medicamento tradicional japonês chamado rikkunshito ou um extrato de rikkunshito para estimular a produção de hormônios. Em três grupos de camundongos diferentes – dois com expectativa de vida encurtada e outro com uma expectativa de vida normal – o tratamento resultou em animais que vivem por mais tempo.

“Estes resultados sugerem que a sinalização da grelina endógena elevada tem um papel importante na prevenção de mortes prematuras relacionadas com o envelhecimento”, escreveu Akio Inui, da Kagoshima University Graduate School of Medical and Dental Sciences, e seus colegas em seu relatório.

Nos camundongos com envelhecimento normal, por exemplo, o tratamento com rikkunshito levou-os a viver cerca de três semanas a mais, disseram os pesquisadores. Estes animais também apresentaram sinais de uma melhor saúde do coração, da consolidação da memória e do movimento.

“Nossas descobertas indicam que a sinalização da grelina ativa SIRT1, e o tratamento da resistência a grelina pode exercer um efeito protetor contra o cérebro e outras patologias de órgãos e tecidos durante o processo de envelhecimento através da via SIRT1”, escreveram os autores.

 Texto traduzido da revista The Scientistpor Vinicius de Oliveira Mussi.

Revisado por Igor Augusto G. Cunha.

Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e atualmente mestrando em Biociências e Biotecnologia pela UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.
Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e atualmente mestrando em Biociências e Biotecnologia pela UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

%d blogueiros gostam disto: