Descoberto o nó molecular mais apertado

Os nós mantêm inúmeras coisas juntas, do tecido em nossas roupas, aos arranha-céus das nossas cidades. Nas últimas décadas, químicos combinaram pequenos fios de moléculas em tubos de ensaio usando uma série de reações químicas. Mas dos 6 bilhões de formações conhecidas de nó primário – nós que não podem ser criados apenas por juntarem várias formações – apenas três foram criados no total: o nó de trevo, o oito e o pentafólio.

Agora, um novo estudo retrata um quarto: o nó 819. Embora os nós anteriores tenham sido tecidos com duas vertentes, o 819 é feito com três, que foram obtidos pelos pesquisadores após uma reação química de cinco passos, para trança-los juntos.

Com apenas 20 nanômetros de comprimento e contendo 192 átomos no total, este novo nó, descrito na Science, atravessa 24 fios de átomos para fazer o mais apertado nó físico de todos os tempos.

Os pesquisadores dizem que não está claro quais propriedades os nós moleculares poderiam conferir quando aplicados a polímeros e tecidos, mas, usando este novo método de trança, eles esperam descobrir como os nós podem dar a uma infinidade de materiais mais força e flexibilidade – de suturas cirúrgicas a coletes à prova de balas.

Matéria originalmente traduzida de Science Magazine.

Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e atualmente mestrando em Biociências e Biotecnologia pela UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.
Vinicius Mussi

Vinicius Mussi

Capixaba, graduado em Biomedicina, com especialização em Saúde Pública e atualmente mestrando em Biociências e Biotecnologia pela UENF - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

%d blogueiros gostam disto: